Muitas vezes pensamos que a necessidade é o principal motivo que motiva os consumidores a comprar, mas, na realidade, os princípios vão muito mais fundo do que isso.

Se você conhecer alguns exemplos e descobrir como aplicá-los nos negócios, você pode facilitar o processo de tomada de decisão para seus clientes.

Produtos e Serviços

Se você tem uma loja eletrônica ou física, a maneira como os produtos e serviços são apresentados, afetam o comportamento de compra das pessoas.

O negócio de hoje envolve uma série de fatores. Surgiu um novo estudo científico que analisa a melhor maneira de apresentar um produto ou serviço; permitindo que os empresários tenham um melhor controle sobre uma situação que é significativa para o negócio. É chamado, a Arquitetura de Escolhas.

Dica: SE VOCÊ PODE INFLUIR À MANEIRA QUE AS PESSOAS TOMAM DECISÕES, VOCÊ É UM ARQUITETO DE ESCOLHAS.

Seguindo esse conceito, a ordem dos fatores altera significativamente o produto. A maneira como uma loja distribui um produto é exibida em um menu ou em seu layout.

Como minimizar os elementos que influenciam as decisões dos consumidores?

1. Transcender benefícios na linguagem do consumidor

O ponto de partida para a aplicação desta ciência no dia-a-dia é entender claramente, como os consumidores do seu produto tomam decisões? Então, projete uma experiência que se ajuste à maneira como eles pensam.

Por exemplo, se você precisasse escolher um novo plano de dados da Internet para o seu smartphone, qual o tamanho que você escolheria: 500MB, 1GB ou 5GB?

A primeira pergunta que vem à sua mente: quanto eu consigo consumir Internet? A maioria dos usuários comuns não tem idéia desse número.

Então, por que as operadoras ainda insistem em comunicar a diferença em cada plano usando esta minúscula informação?

Pode ser melhor falar sobre as horas consumidas, o estilo de vida do usuário ou as necessidades para cumprir, como verificar e-mails, baixar músicas, usar redes sociais ou jogos online.

O mesmo princípio pode ser aplicado à comparação de carros, eletrônicos, software e serviços que utilizam termos técnicos que não fazem parte do vocabulário de um leigo.

Uma mentalidade semelhante ao consumidor irá ajudá-lo a entender o critério em que uma pessoa compraria um produto como o seu e crie filtros de pesquisa ou tabelas comparativas que tornam mais fácil ver essas diferenças.

2. Mais opções não são iguais a melhores opções

As escolhas sempre foram sinônimo de liberdade. Mas, as decisões complexas e frequentes que tomamos, mais exaustivas são.

Portanto, é sua responsabilidade facilitar o máximo possível para facilitar o processo de escolha envolvendo um produto ou serviço.

Dica: SE O SEU NEGÓCIO ESTÁ BASEADO EM VARIOS PORTAFOLIA DE PRODUTOS OU SERVIÇOS, REVISE COMO SÃO APRESENTADOS AO CONSUMIDOR.

Por exemplo, um site com um menu densamente preenchido reflete a atenção do visitante e torna o processo de navegação menos intuitivo e mais racional.

Para tornar mais fácil, estruture sua linha de produtos por categorias que sejam familiares aos seus clientes, facilitando a comparação, entendendo o diferencial e a proposição de valor de cada um.

3. Quando em dúvida, o consumidor escolhe a opção padrão

Muito usado nas áreas de seguro, saúde e até mesmo doação de órgãos. Este princípio indica que quando você apresenta uma opção pré-selecionada para as pessoas, eles entendem que é uma alternativa padrão e, na maioria das vezes, mantém o que está descrito.

4. Não Substime os Incentivos

Quando você pensa na forma como um consumidor escolhe, comece por analisar o contexto dessa escolha. Não é uma relação isolada entre sua marca e o cliente.

O cliente é realmente um anúncio para sua marca. Pode ir de qualquer maneira. Lembre-se, se não é você, um empresário rival roubará seu comprador.

Como empresário, você deve se preocupar com o que outros sites estão abertos no navegador da internet do seu cliente enquanto eles compram no seu site.

Talvez eles estejam pensando em comparar este produto em uma loja ao lado e talvez, até mesmo ofertas de marketing por e-mail.

Reveja como suas linhas de produtos e serviços são apresentadas aos consumidores classificando e facilitando a comparação entre itens similares.

Em caso de dúvida, simplifique. Crie atalhos de decisão, preencha campos mais simples, elimine etapas de compra desnecessárias e passe a jornada do usuário para encontrar o impulsiona a sua experiência, tornando-a mais vívida e lógica para os clientes.

Leia também: 5 RAZÕES PELAS QUAIS VOCÊ NÃO DEVE IGNORAR MÉTODOS PROMOCIONAIS